11 janeiro, 2007

A Guerra Contra os Movimentos de Cidadãos

Estamos a um mês do referendo sobre o aborto, e existem neste momento 15 movimentos de cidadãos pelo NÃO formalizados na Comissão Nacional de Eleições, número que pode ainda aumentar para 16 até amanhã (sexta-feira) à tarde (ver o blogue Pela Vida). Estes valores contrastam com os movimentos pelo SIM, que são apenas 5. Uma das consequências práticas desta diferença foi explicada ontem pelo Jornal de Notícias:
«Os números, por si só, pouco significariam, não fosse poderem influenciar a distribuição dos tempos de antena que serão distribuídos por rádios e televisões. É que as regras definidas repartem o tempo (a metade que não fica nas mãos dos partidos políticos) de forma igual por cada movimento - não o dividindo de forma igual pelo "sim" e pelo "não". Ou seja, com mais movimentos no terreno, o "não" pode vir a ter mais tempo de antena durante a campanha.»
Mas a elite política já estava preparada: a RTP antecipou o horário de transmissão dos tempos de antena emitidos fora do período legal de campanha eleitoral para as 19 horas, deixando de ser transmitidos perto do Telejornal. Tudo muito democrático.
(actualização: leia mais sobre isto no Blogue do Não)
Na coluna da direita aqui do Mote para Motim podem ser encontrados 20 sites oficiais de movimentos cívicos pelo NÃO (é preciso referir que existem muitos mais, mas não têm site) e 18 blogues exclusivamente dedicados a informar os portugueses das razões pelas quais o NÃO é a única resposta possível a estas políticas genocidas, que só apoiam a morte e desencorajam a natalidade.

Etiquetas: , , ,

|

Ligações de outros sites para este texto:

Criar uma hiperligação

<< Página principal