23 agosto, 2006

O Sionismo

«O estado de Israel não está 'apenas' a transgredir as leis judaicas ao atacar os seus vizinhos – esse estado pura e simplesmente não devia existir». O autor desta afirmação não é o líder do Hezbollah, nem o presidente do Irão, nem o líder de um grupo neo-nazi: é o rabino judeu Yisroel Weiss, membro do movimento Jews United Against Zionism (Judeus Contra o Sionismo). Em apenas 4 minutos, Weiss desmonta um dos principais pilares da propaganda que nos é bombardeada sempre que vemos uma notícia sobre o Médio Oriente, numa entrevista dada ao canal de televisão norte-americano FOX News no final do mês passado. A entrevista foi conduzida por Neil Cavuto, a tradução é minha:

«Neil Cavuto: Rabino, essas são declarações muito fortes…

Rabino Weiss: Essa é a noção que foi transmitida durante os últimos 100 anos, quando o movimento sionista foi criado. O Sionismo transforma o Judaísmo como espiritualidade, uma religião, em materialismo, com um objectivo nacionalista de obter um pedaço de terra. Todas as autoridades rabínicas afirmaram que isso é a antítese do Judaísmo – expressamente proibido pela Torá porque nós vivemos em exílio por Deus.

Cavuto: Então, os judeus não deviam ter um estado? Não deviam ter um país? Não deviam ter um governo?

Weiss: Nós não devíamos ter um estado. Devíamos viver em todas as nações como cidadãos cumpridores, à semelhança do que fizemos durante dois mil anos, servindo Deus, emulando Deus com compaixão… Ao contrário do que as pessoas acreditam, de que isto é um conflito religioso, nós temos vivido durante centenas de anos no meio de comunidades muçulmanas e árabes sem quaisquer equipas da ONU a inspeccionar violações dos direitos humanos…

Cavuto: Rabino, deixe-me perguntar-lhe isto: a vida para os judeus era melhor antes da criação do estado judeu de Israel?

Weiss: 100% verdade. Nós temos o testemunho da comunidade judia, vivendo em harmonia na Palestina e em outras terras que, juntamente com o grão-rabino de Jerusalém, declararam às Nações Unidas que não desejavam um estado judeu, nós temos esses documentos. Os habitantes muçulmanos, cristãos e judeus foram ignorados na criação do estado de Israel…

Cavuto: Vocês podem não ter tido um país, mas têm sido molestados ou massacrados com o passar dos milénios, particularmente há cinquenta e sessenta anos atrás.

Weiss: Uma coisa é ser-se morto devido ao anti-semitismo, outra é hostilizar e criar o anti-semitismo através do Sionismo… ou, por outras palavras, bater na porta dos vizinhos e gritar anti-semitismo.

Cavuto: Eu sei que você é um judeu ortodoxo, mas o que é que os judeus tradicionais pensam dessa posição?

Weiss: A opinião generalizada dos judeus é que, na verdade, nós não deveríamos ter um estado. Mas, uma vez ele criado, muitos judeus acreditaram na propaganda sionista de que de que existe um ódio enraizado contra eles, e de que os árabes nos querem atirar todos ao oceano. É por isso que os judeus têm tanto receio em devolver a terra…

Cavuto: É algo compreensível, não é? Vocês têm o presidente do Irão a dizer que o Holocausto nunca aconteceu, e que se ele pudesse destruiria Israel e todos os judeus.

Weiss: Isso é redondamente falso. Ele tem uma comunidade judia no Irão e nunca os matou quando teve a oportunidade para tal…

Cavuto: Então, não acredita na sua afirmação de que ele irá tentar matar judeus?

Weiss: Ele pretenderia o desmantelamento do estado político de Israel. Na verdade, nós e um grande grupo de rabinos visitámos o Irão no ano passado, onde fomos recebidos pelos líderes religiosos e pelo vice-presidente – na altura Ahmedinejad [o presidente do Irão] estava na Venezuela –, e todos eles afirmaram inequivocamente que não têm nenhum conflito com os judeus.

Cavuto: Então acha que enquanto Israel existir, nunca haverá paz?

Weiss: Os judeus estão a sofrer, os palestinianos e os libaneses estão a sofrer… nós rezamos pelo desmantelamento rápido e pacífico do estado de Israel.

Cavuto: Rabino, é interessante que não costumamos ouvir esse ponto de vista...»

É verdade que esse ponto de vista não é dado a conhecer. Em Portugal, por exemplo, os jornalistas não se atrevem a tocar no movimento sionista. No entanto, é muito frequente verem-se comentadores políticos a afirmar que todos os que criticam Israel e o Sionismo são anti-semitas e neo-nazis (aos olhos deles, o rabino Yisroel Weiss seria um perigoso cabeça rapada). Outros "opinadores" defendem com unhas e dentes que o Sionismo não tem nenhuma influência na Guerra contra o Terrorismo norte-americana (que esmagou o Afeganistão e o Iraque), no presente ataque ao Líbano e no futuro ataque ao Irão – isso é o mesmo que afirmar que o nacional-socialismo não teve nenhuma influência na Segunda Guerra Mundial.

Para saber mais:
Zionism
Zionism DataPage
Orthodox Jews United Against Zionism
True Torah Jews Against Zionism
Página da Wikipédia sobre o Sionismo, em português

View this post in english - Automatic translation provided by Babel Fish

Etiquetas: , , , , , ,

|

Ligações de outros sites para este texto:

Criar uma hiperligação

<< Página principal